AV. ALTEMAR DUTRA (AV. A), 208 - NOVA CAMPINAS - ÁREA 1 - TELEFONE: 3193-1485 - ATENDIMENTO COM HORA MARCADA - DIREÇÃO: DRA. SANDRA BORGES E DR. LEONARDO MARTINS...CONTATO PELO E-MAIL sandraborges63@ig.com.br

CONFIRA

CONFIRA

terça-feira, 19 de setembro de 2017

SAÚDE: GOVERNO GASTA MENOS DE R$ 200 POR HABITANTE

O Governo do Estado do Rio de Janeiro gasta por ano com saúde pública o equivalente R$186 por habitante, segundo pesquisa do Fórum de Saúde do Estado do Rio de Janeiro. A informação foi divulgada pela integrante do Fórum e professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Maria Inês Bravo, durante audiência pública conjunta da Comissão de Saúde e da Frente Parlamentar da Saúde da Assembléia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), nesta segunda-feira (18/09).O presidente da Comissão de Saúde, deputado Fábio Silva (PMDB) comparou o investimento do Rio com outros países. "Na Inglaterra são gastos o equivalente a 3.033 dólares por ano com saúde por habitante. Na Alemanha são 3.800 dólares por cidadão”, afirmou. Ele disse que é preciso ter mais investimento do governo federal. "Não é possível que apenas 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do país seja destinado a saúde, enquanto 8% é gasto com o pagamento da dívida".Durante a reunião, Fábio Silva também lembrou que nos últimos dois meses o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) e a Defensoria Pública visitaram 52 unidades de saúde no estado e comprovaram a precariedade dos hospitais. "Principalmente nas unidades da Baixada Fluminense. Tem postos de saúde sendo fechados na região. Isso é um absurdo. É preciso que haja uma união entre Alerj, Cremerj e Defensoria em busca de solução para os problemas apresentados", afirmouDemandasMaria Inês criticou o aumento no número de Organizações Sociais (OSs) selecionadas para prestar serviços para o poder público, como a administração de hospitais. “63% das unidades hospitalares do Rio já são administradas por OSs. Queremos um Sistema Único de Saúde (SUS) que seja estatal", afirmou a professora.Além do fim das OSs, outras demandas foram apresentadas pelos profissionais da categoria. Eles solicitaram um Plano de Cargos Carreiras e Salários, regularização dos vencimentos que estão atrasados, pagamento do 13º salário de 2016 e novos concursos públicos para a área.“Todas essas demandas serão analisadas e vamos ampliar o debate para cada uma delas. O nosso objetivo é tentar resolver esses problemas. É impressionante como uma área que tem legislações específicas desde 1988 ainda consegue ser a que mais sofre com o descaso do executivo”, afirmou a presidente da Frente Parlamentar da Saúde, deputada Enfermeira Rejane (PCdoB).Maria Inês lembrou que a crise da saúde no estado do Rio de Janeiro é uma constante, mas que piorou nos últimos anos. “Em 2005 tivemos uma crise basicamente municipal, em 2015 na rede estadual. Mas esse ano a crise atinge todas as redes, inclusive a federal. A saúde no Rio passa pelo seu pior momento. Precisamos urgente de socorro”, concluiu.Também estiveram presentes na reunião os deputados estaduais Flávio Serafini (PSol), Gilberto Palmares (PT), Dr. Julianelli (Rede) e o Dr. Deodalto (DEM), os deputados federais Alessandro Molon (Rede-RJ) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ), e o vereador do município do Rio Renato Cinco (PSol).

http://www.alerj.rj.gov.br/Visualizar/Noticia/41336

Nenhum comentário:

Postar um comentário